Smess

Alien Blade: O Meu Primeiro Jogo do Blender

Quando vi uma competição de criação de jogos, qual o tema foi Gravidade Zero, me fez pensar um pouco em interromper o atual projeto pessoal em desenvolvimento, para então imaginar o que poderia fazer nesta competição.

Daí então que decidi pausar por aproximadamente 1 semana o principal projeto para iniciar a criação do jogo.

Neste artigo irei apresentar um resumo do desenvolvimento, e logo no final você encontrará um link para baixar tanto o executável (Linux/Windows) do jogo quanto o projeto .blend.

O Rápido Planejamento do Jogo

Ao imaginar como vai ser o game, seja de forma simples até de maneira fabulosa, podemos não conseguir desapega-lo da mente, por conta do tamanho do encantamento. Indo mais além, podemos posteriormente esquecer essas idéias e não conseguir resgata-las novamente.

Para isso que utilizei as ferramentas de notas como o StackEdit (markup via web), e foi por aí que descarreguei as minhas idéias de maneira espontânea, sem me preocupar com os erros, exageros e “critérios”, e enfim abri ao público através da live no canal Smess Games.

Apesar disso, nem todo conteúdo anotado foi aplicado no projeto, pois anotei pensando alto, com ideias que vão além da minha capacidade para 1 semana de desenvolvimento.

Estes meios de gravação de idéias, seja via texto, mind maps, voz ou vídeo, são como “próteses mentais”, que nos permite ficar mais seguros e confortável em libertar-se da paralisia de pensamentos e até mesmo esquecer por um momento.

A Modelagem

Para fazer um personagem de forma mais rápida, decidi primeiramente criar o protagonista através de aplicativo de criação de personagem, o Fuse. Até consegui fazer um personagem de acordo com o planejamento, mas o modelo não me trouxe um resultado desejável, com diversos problemas para renderização.

Enfim, parecia mais um atalho fácil, que poderia levar a medidas errôneas como persistir na ideia. Após de jogar no lixo a primeira ideia de personagem, foi então que decidi fazer do zero, mas de uma maneira muito simples.

Foi então que, na segunda live, comecei a desenhar no Krita um simples “blueprint” com apenas a projeção frontal. Com este blueprint, joguei ao Blender, o modelei com modificador Skin e o texturizei usando o modo Texture Paint. Mesmo sem muita experiencia em pintura, o modelo em lowpoly foi um resultado que me agradou bastante.

The resultado da modelagem. 👍

Animação e Programação por Blocos de Lógicas

Para animação do personagem, decidi utilizar o Rigify, que é uma ferramenta que ajuda na criação de rigging para diversos modelos (não todos) de uma maneira eficiente. Após a criação de rig, animei as principais ações do personagem, como poses, atacar com a katana, usar o impulso e animação padrão.

Como não domino bem a linguagem Python, o sistema do jogo foi feito através dos Blocos de Lógicas. Essa ferramenta nativa auxilia na programação do jogo sem precisar desenvolver scripts, bem útil para quem não possui conhecimento ou domínio na linguagem Python. O Blender oferece também sistemas de físicas bem funcionais e por isso que o jogo traz alguns efeitos de partícula e escombros.

O Resultado

Em 1 semana de criação de jogo, o Alien Blade foi um projeto bem próximo do que eu tinha planejado, isso até me deixou satisfeito com o resultado final. Recebi bastante comentários positivos no vídeo que o canal SMaxCap publicou e isso tudo me deixou bastante grato, fazendo valer a pena pela nova experiência na criação de jogos.

Screenshot do gameplay.

Download:

Confira os links para baixar o jogo para Windows ou Linux e caso queira continuar o projeto ou utilizar para outros fins ofereço-lhe o projeto aberto .blend para UPBGE.

 

Licença Creative Commons
 Alien Blade por Saulo de Souza (smess.com.br) está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

UPBGE e 11 Deliciosos Recursos que Aprimoram a Game Engine do Blender

O Blender é um software 3D que possui uma diversa quantidade de ferramentas e uma delas é o motor de jogo BGE (Blender Game Engine) com recursos focados na criação de jogos, mas sem limitar a outras finalidades como aplicações interativas, gráficos 2D, etc.

Já o UPBGE é uma ramificação (no inglês fork) do Blender focado no aprimoramento do BGE. As forks são projetos que utilizam um software base para incrementar mais recursos ou ressuscitar os software descontinuados. Um bom exemplo de fork é o LibreOffice que assumiu a sucessão do OpenOffice. […]